sexta-feira, 22 de abril de 2016

ESTUDO DO LIVRO "DE VOLTA AO PASSADO" - PARTE 61 - FACILITADOR: ALEXANDRE X. DE CAMARGO

ESTUDO DO LIVRO "DE VOLTA AO PASSADO" - PARTE 60 - FACILITADOR: ALEXANDRE X. DE CAMARGO

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 54 - APRIMOREMOS - MARIA CAMPOS - 22-04-2016

APRIMOREMOS 

“Não extingais o Espírito.” – Paulo.
(I TESSALONICENSES, 5:19.)


Saibamos estender os valores do espírito.
Observa a estrada nobre que te oferece passagem com segurança e lembra-te de que ainda ontem era trato de terra inculta.
Serpentes insidiosas aí acalentavam a pessoinha que se lhes acumulava no seio, enquanto vermes famintos se amontoavam no mato agreste.
Mas chegaram braços amigos e abnegados, atentos à disciplina...
Maquinaria enorme trabalhou a cabeleira verde da gleba, harmonizando-lhe as linhas; picaretas extraíram-lhe os pedrouços semelhantes a flegmões cristalizados; o cimento pavimentou a trilha aberta, e a organização lhe imprimiu determinada ordem aos movimentos.
Quantos semblantes suarentos para que a obra surgisse, quantos dedos quebrados, quantos lidadores rendidos aos acidentes inevitáveis e quantas inquietações por eles vencidas, não podes realmente saber, mas podes reconhecer que foi o trabalho inteligente – luz divina do espírito humano – a força que te facultou a vitória sobre a distância.
Cada vez que a viagem te suprime ansiedades e poupa aflições, ainda mesmo que, por agora, não saibas agradecer, a estrada te partilha a tranquilidade e o contentamento, envolvendo os operários anônimos que a construíram em sublime coro de bênção.
Analisa semelhante lição, encontradiça em cada canto de rua, e não olvides que a ignorância é também aflitiva selva no mundo. Abracemos o serviço da educação. e da bondade, com alicerces na disciplina do Cristo, que é para nós outros, o Engenheiro Celeste, e tracemos novos caminhos de evolução e de entendimento, em que as almas se aproximem na exaltação da alegria e na ascensão do progresso.
Não importa sejamos hoje artífices sem nome. Vale o serviço feito.
Humilde réstia de luz que acendermos envolver-nos-á em seu clarão e a pequenina semente de fraternidade que venhamos a lançar no solo da vida abençoar-nos-á com os seus frutos.