sexta-feira, 29 de abril de 2016

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 55 - SUPORTEMOS - MARIA CAMPOS - 29-04-2016

SUPORTEMOS 

"Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita..."
(Tiago 1:4)


Detém-te um minuto no torvelinho das preocupações costumeiras e repara que deves o próprio equilíbrio à Paciência divina, a sustentar-nos em cada instante da vida, através de mil modos.
Muita gente, talvez, em te fitando na ternura do recém -nato, duvidasse da tua capacidade de sobreviver para a existência terrestre, mas Deus teve paciência contigo e conferiu-te o devotamento materno que te ajudou a ativar as energias do próprio corpo.
Entendidos em psicologia, em te anotando a intempestividade infantil, provavelmente desconfiaram da tua possibilidade de alfabetização, mas Deus teve paciência contigo e concedeu-te a heróica ternura de professores abnegados que te abriram novos horizontes no campo da educação.
E a paciência do Senhor, cada dia, permite, generosa, que tales plantas inermes, que te assenhoreis do suor e do sangue dos animais, que te apropries das forças da Natureza e que te valhas, indiscriminadamente, do concurso dos semelhantes para que te alimentes e mediques, restaures e instruas.
Lembra-te dessa Paciência Perfeita que te beneficia, e cultiva paciência para com os outros.
O companheiro cuja aspereza te ofende e o aprendiz cuja insipiência te irrita são irmãos que te rogam cooperação, e entendimento, e quantos te caluniem ou apedrejem são doentes que te pedem simpatia e consolo...
as para que colabores e compreendas, harmonizes e reconfortes é necessário que a tolerância construtiva te alente os passos.
À frente dos óbices de todo gênero, guarda a paciência que ajuda, e, diante dos ataques de toda ordem, cultiva a paciência que esquece.
Escuda-te, pois, na paciência para com todos, sem jamais te esqueceres de que a alegria dos homens é a Paciência de Deus.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

ESTUDO DO LIVRO "DE VOLTA AO PASSADO" - PARTE 61 - FACILITADOR: ALEXANDRE X. DE CAMARGO

ESTUDO DO LIVRO "DE VOLTA AO PASSADO" - PARTE 60 - FACILITADOR: ALEXANDRE X. DE CAMARGO

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 54 - APRIMOREMOS - MARIA CAMPOS - 22-04-2016

APRIMOREMOS 

“Não extingais o Espírito.” – Paulo.
(I TESSALONICENSES, 5:19.)


Saibamos estender os valores do espírito.
Observa a estrada nobre que te oferece passagem com segurança e lembra-te de que ainda ontem era trato de terra inculta.
Serpentes insidiosas aí acalentavam a pessoinha que se lhes acumulava no seio, enquanto vermes famintos se amontoavam no mato agreste.
Mas chegaram braços amigos e abnegados, atentos à disciplina...
Maquinaria enorme trabalhou a cabeleira verde da gleba, harmonizando-lhe as linhas; picaretas extraíram-lhe os pedrouços semelhantes a flegmões cristalizados; o cimento pavimentou a trilha aberta, e a organização lhe imprimiu determinada ordem aos movimentos.
Quantos semblantes suarentos para que a obra surgisse, quantos dedos quebrados, quantos lidadores rendidos aos acidentes inevitáveis e quantas inquietações por eles vencidas, não podes realmente saber, mas podes reconhecer que foi o trabalho inteligente – luz divina do espírito humano – a força que te facultou a vitória sobre a distância.
Cada vez que a viagem te suprime ansiedades e poupa aflições, ainda mesmo que, por agora, não saibas agradecer, a estrada te partilha a tranquilidade e o contentamento, envolvendo os operários anônimos que a construíram em sublime coro de bênção.
Analisa semelhante lição, encontradiça em cada canto de rua, e não olvides que a ignorância é também aflitiva selva no mundo. Abracemos o serviço da educação. e da bondade, com alicerces na disciplina do Cristo, que é para nós outros, o Engenheiro Celeste, e tracemos novos caminhos de evolução e de entendimento, em que as almas se aproximem na exaltação da alegria e na ascensão do progresso.
Não importa sejamos hoje artífices sem nome. Vale o serviço feito.
Humilde réstia de luz que acendermos envolver-nos-á em seu clarão e a pequenina semente de fraternidade que venhamos a lançar no solo da vida abençoar-nos-á com os seus frutos.

domingo, 17 de abril de 2016

PALESTRA PÚBLICA - SOCIEDADE ESPÍRITA MARIA DE NAZARÉ - O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - ALEXANDRE X. DE CAMARGO - 17/04/2016

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 53 - PALAVRA ESCRITA - MARIA CAMPOS - 17-04-2016

PALAVRA ESCRITA

“Examinai tudo. Retende o bem”. – Paulo.
(I TESSALONICENSES, 5:21.)


Disse o apóstolo Paulo: – “examinai tudo”, mas não se esqueceu de acrescentar: – retende o bem”.
Muita gente se prevalece do texto para afirmar que os aprendizes do Evangelho devem ler indiscriminadamente, ainda mesmo quando se trate de ingerir os corrosivos da opinião em letras de jornal ou as fezes do pensamento em forma de livro.
Sim, é natural que a mente amadurecida e equilibrada possa ler tudo e tudo observar, mas não é aconselhável que as crianças e os doentes, os fracos e alienados potenciais da razão tudo experimentem e tudo vejam.
Sabiamente, a Lei Divina dispõe sobre o assunto, sugerindo o levantamento de zonas indispensáveis à justa segregação.
Meninos encontram lares e escolas a fim de que se habilitem para as lutas da vida.
Doentes são encaminhados ao hospital para que se refaçam. Loucos se candidatam aos serviços do manicômio em busca de reequilíbrio. Criaturas fracas que o crime assinalou com estigmas dolorosos recolhem-se à penitenciária em cuja aspereza se reajustam.
Assim, pois, se te reconheces em plenitude de robustez espiritual, analisa tudo, sabendo que é preciso reter o bem capaz de ajudar na edificação ou na cura dos outros.
Se possuis o necessário discernimento e se dispões do tempo preciso, lê tudo, usando o crivo da compreensão e da utilidade, mas não olvides escolher o que seja bom e apenas prestigiar o que seja bom, em favor daqueles que ainda não pensam com segurança quanto já podes pensar.

ESTUDO DO LIVRO "DE VOLTA AO PASSADO" - PARTE 59 - FACILITADOR: ALEXANDRE X. DE CAMARGO

sexta-feira, 8 de abril de 2016

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 52 - PALAVRA FALADA - MARIA CAMPOS - 08-04-2016

PALAVRA FALADA

“Porque não há coisa oculta que não haja de manifestar-se, nem escondida que não haja de saber-se e vir à luz. Vede, pois, como ouvis.” – Jesus. (LUCAS, 8:17-18.) 


A palavra é vigoroso fio da sugestão.
É por ela que recolhemos o ensinamento dos grandes orientadores da Humanidade, na tradição oral, mas igualmente com ela recebemos toda espécie de informações no plano evolutivo em que se nos apresenta a luta diária.
Por isso mesmo, se é importante saber como falas, é mais importante saber como ouves, porquanto segundo ouvimos, nossa frase semeará, bálsamo ou veneno, paz ou discórdia, treva ou luz.
No templo doméstico ou fora dele, escutarás os mais variados apontamentos.
Apreciações acerca da Natureza...
Críticas em torno da autoridade constituída... Notas alusivas à conduta dos outros...
Opiniões diferentes nesse ou naquele acém...
Cada registro falado traz consigo o impacto da ação. Contudo, a reação mora em ti mesmo, solucionando os problemas ou agravando-lhes a estrutura.
Por tua resposta, converter-se-á o bem na lição ou na alegria dos que te comungam a experiência ou transformar-se-á o mal no açoite ou no sofrimento daqueles que te acompanham.
Saibamos, assim, lubrificar as engrenagens da audição com o óleo do amor puro, a fim de que a nossa língua. traduza o idioma da compreensão e da paciência, do otimismo e da caridade, porque nem sempre o nosso julgamento é o julgamento da Lei Divina e, conforme asseverou o Cristo de Deus, não há propósito oculto ou atividade transitoriamente escondida que não hajam de vir à luz.