sábado, 24 de junho de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 99 - RECLAMAÇÕES - MARIA - 24/06/2017

RECLAMAÇÕES

“Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso esta pecando”. (TIAGO, 4:17.)


Censuras com grande alarde os que se oneraram, nos delitos do furto; entretanto, se acumulas, inutilmente, os recursos necessários ao sustento do próximo, não podes alegar inocência.
Acusas os que desceram à criminalidade, mas, se nada realizas pela extinção da delinquência, não te cabe o direito de reprovar.
Apontas o egoísmo dos governantes; no entanto se te afervoras no egoísmo dos dirigidos, deitas apenas conversa vã.
Criticas todos aqueles que instruem os seus irmãos de maneira deficiente; contudo, se dispões de competência e foges ao plantio da educação, não estarás tranqüilo contigo
mesmo.
Clamas contra aqueles companheiros que categorizas por rebeldes e viciados, quando lhes anotas a presença no trabalho de socorro aos semelhantes; todavia, se te sentes virtuoso e não levantas se quer uma palha em favor dos que sofrem, as sentenças que te
saem da boca não passarão de injustiça.
Entra no serviço da alma e coração, para que possas comentá-lo.
Ninguém pode exigir dos outros o que não dá de si mesmo.
Quem sabe o que deve fazer, e não faz, deserta dos deveres que lhe competem, caindo em omissão lamentável, e, se atrapalhar quem procura fazer, certamente responderá com dobradas obrigações pelo que não fizer.
  

domingo, 18 de junho de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 98 - FILHO E CENSOR - MARIA - 18/06/2017

FILHO E CENSOR

“Mas, respondendo ele, disse ao pai: “eis que te sirvo, há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com meus amigos...” – Jesus - (LUCAS,15:29.)


Na parábola do filho pródigo, não encontramos somente o irmão que volta experiente e arrependido ao convício do lar.
Nela, surge também o irmão correto, mas egoísta, remoendo censura e reclamação.
Ele observa a alegria paternal, abraçando o irmão recuperado; entretanto, reprova e confronta. Procede como quem lastima o dever cumprido, age à feição de um homem que desestima a própria nobreza.
É fiel aos serviços do pai; contudo, critica-lhe os gestos. Trabalha com ele; no entanto, anseia escravizá–lo aos próprios caprichos.
Atende-lhes aos interesses, vigiando-lhe o pão e a prata.
Guarda lealdade, mergulhando-se na ideia de evidência e de herança.
Se o coração paterno demonstra grandeza de sentimento, explode em ciúme e queixa. Se perdoa e auxilia, interpõe o merecimento de que se julga detentor, tentando limitar-lhe a bondade.
Perde-se num misto de crueldade e carinho, sombra e luz.
É justo e injusto, terno e agressivo, companheiro e censor.
Deseja o pai somente para si, a fazenda e o direito, o equilíbrio e a tranqüilidade somente para si.
No caminho da fé, analisa igualmente a tua atitude.
Se te sentes ligado à Esfera Superior por teus atos e diretrizes, palavras e pensamentos, não te encarceres na vaidade de ser bom. Não te esqueças, em circunstância alguma, de que Deus é Pai de todos, e, se te ajudou para estares com ele, é para que estejas com ele, ajudando aos outros.
  

sábado, 10 de junho de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 97 - PAI E AMIGO - MARIA - 11-06-2017

PAI E AMIGO

“ E levantando-se, foi para seu pai; e quando ainda estava longe, o pai chegou a vê-lo, moveu-se de íntima compaixão e, correndo, lançou-se lhe ao pescoço e o beijou.”
Jesus (LUCAS, 15:20.)

É possível que essa ou aquela falta te sombreie o coração, impelindo-te ao desânimo.
Anseias respirar a fé pura, entregar-te aos misteres do bem, contudo, trazes remorso e tristeza.
Dissipaste as forças da vida, extraviaste votos santificantes, erraste, caíste na negação, qual viajor que perdesse a luz..
.Entretanto, recorda a Providência Divina a reerguer-te.
O amor de Deus nunca falta.
Para toda ferida haverá remédio adequado .Para todo desequilíbrio aparecerá o reajuste .Fixa-te no ensinamento do Cristo, enunciando o retorno do filho pródigo.
O reencontro não se deu em casa, com remoques e humilhações para o moço em desvalimento.
Assinalando-o no caminho de volta " e, quando ainda estava longe, o pai, ao vê-lo, moveu-se de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
O pai não esperou que o filho se penitenciasse o rojo, não exigiu escusas, não solicitou justificativas e nem impôs condições de qualquer natureza para estender-se os braços; apenas aguardou que o filho se levantasse e lhe desejasse o calor do coração.

https://youtu.be/4Fz2gjb-wcM

segunda-feira, 5 de junho de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 96 - AS PALAVRAS - MARIA - 05/06/2017 (ÁUDIO/VÍDEO)

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 96 - NAS PALAVRAS - MARIA - 05-06-2017

NAS PALAVRAS

“Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para não serdes julgados...”
(TIAGO, 5:9.)


Mergulhar o divino dom da palavra no vaso lodoso da queixa é o mesmo que inflamar preciosa lâmpada no conteúdo da lata de lixo.
Não transformes a própria frase em lama sobre chagas abertas.
Podes mobilizar a maravilha do verbo, para reajustar o bem, sem necessidade de estender o mal.
Ergue a esperança, ao pé dos que desfaleceram na luta. Exalta a excelência do amor, perante aqueles que o ódio intoxica. Louva as perspectivas da fé, ao lado dos que choram no desencanto. Aponta as qualidades nobre do amigo que caiu em desvalimento. Destaca as possibilidades de auxiliar onde os outros somente encontram motivos para censura.
Desdobra o trabalho restaurador onde o pessimismo condena. Procura o lado melhor das situações para que o melhor seja feito. E, quando os obstáculos morais se agigantem, como se a maldade estivesse a ponto de triunfar em definitivo, se não podes algo dizer
em louvor da bondade, cala-te e ora.
Pensa no bem, quando não puderes falar nele.
A semente muda, renova a terra.
A gota silenciosa de sedativo, asserena o corpo martirizado.
Nunca te queixes dos outros, mesmo porque, em nos queixando de alguém, é preciso consultar o próprio íntimo para saber se em algum lugar desse alguém não estaríamos fazendo isso ou aquilo de maneira pior.
  

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 95 - APRENDENDO - MARIA - 29-05-2017 (ÁUDIO/VÍDEO)

sábado, 3 de junho de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 95 - NAS PALAVRAS - MARIA - 03-06-2017

NAS PALAVRAS

“Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para não serdes julgados...”
(TIAGO, 5:9.)


Mergulhar o divino dom da palavra no vaso lodoso da queixa é o mesmo que inflamar preciosa lâmpada no conteúdo da lata de lixo.
Não transformes a própria frase em lama sobre chagas abertas.
Podes mobilizar a maravilha do verbo, para reajustar o bem, sem necessidade de estender o mal.
Ergue a esperança, ao pé dos que desfaleceram na luta. Exalta a excelência do amor, perante aqueles que o ódio intoxica. Louva as perspectivas da fé, ao lado dos que choram no desencanto. Aponta as qualidades nobre do amigo que caiu em desvalimento. Destaca as possibilidades de auxiliar onde os outros somente encontram motivos para censura.
Desdobra o trabalho restaurador onde o pessimismo condena. Procura o lado melhor das situações para que o melhor seja feito. E, quando os obstáculos morais se agigantem, como se a maldade estivesse a ponto de triunfar em definitivo, se não podes algo dizer
em louvor da bondade, cala-te e ora.
Pensa no bem, quando não puderes falar nele.
A semente muda, renova a terra.
A gota silenciosa de sedativo, asserena o corpo martirizado.
Nunca te queixes dos outros, mesmo porque, em nos queixando de alguém, é preciso consultar o próprio íntimo para saber se em algum lugar desse alguém não estaríamos fazendo isso ou aquilo de maneira pior.
  

domingo, 28 de maio de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 94 - BENEFICÊNCIA E PACIÊNCIA - MARIA - 28-05-2017

APRENDENDO

“Tornai-vos, pois, praticantes de palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”. (TIAGO, 1:22.)


Cada vez que as circunstâncias te induzam a ouvir as verdades do Evangelho, não admitas que o acaso esteja presidindo a semelhantes eventos. Forças ocultas estarão acionando a oportunidade, a fim de que te informes quanto ao teu próprio caminho.
Não te faças, pois, desatento, porquanto, a breve espaço, serás naturalmente chamado pela vida para testemunhar.
Observa a escola e as disciplinas com que se formam determinados profissionais.
Acadêmicos de Medicina ouvem lições para curar os doentes ou auxilia-los; estudantes de Engenharia escutam ensinamentos para que os apliquem à técnica das construções no plano terrestre; contabilistas gastam tempo, de modo a garantirem a sustentação do comércio, na arte de fazer contas; tecelões assimilam princípios, em torno de certas máquinas, para atenderem, oportunamente, à indústria do fio...
Qualquer estudo nobre é aquisição inapreciável, mas se mora estanque, na alma de quem aprende, assemelha-se a pão escondido aos que choram de fome.
Ouvir, sim, os preceitos da Espiritualidade Superior, mas agir, segundo nos orientam, porque, se sabemos e não fazemos o que o bem nos ensina, melhor fora não saber, para não sermos tributados, com taxas de maior sofrimento, nas grades da culpa.
  

sábado, 20 de maio de 2017

LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - CAP. 93 - BENEFICÊNCIA E PACIÊNCIA - MARIA - 20-05-2017

BENEFICÊNCIA E PACIÊNCIA

“A caridade é paciente e benigna...” – Paulo
(I CORÍNTIOS, 13:4.)


Beneficência, sim, para com todos:
Prato dividido.
Veste aos nus.
Remédio aos doentes.
Asilo aos que vagueiam sem teto.
Proteção à criança sem teto.
Auxílio ao ancião em desvalimento.
Socorro às viúvas.
Refúgio aos indigentes.
Consolo aos tristes.
Entretanto, é preciso estender a bondade igualmente noutros setores:
Compreensão em família.
Trabalho sem queixa.
Cooperação sem atrito.
Pagamento sem choro.
Atenção a quem fale, ainda mesmo sem qualquer propósito edificante.
Respeito aos problemas dos outros.
Serenidade às provocações.
Tolerância para com as idéias alheias.
Gentileza na rua.
A beneficência pode efetuar prodígios, levantando a generosidade e conquistando a gratidão; contudo, em nome da caridade, toda beneficência, para completar-se, não pode viver sem a paciência.